Mea Culpa [II]

28/10/2009

Eu já roubei balas de uma banquinha de um velhinho que tinha o mau hábito de nos lesar nas contas.

Eu já tomei três sorvetes com a mesma notinha fiscal. Eu parava no caixa da padaria, comprava um docinho bem barato para disfarçar e depois ia ao balcão e pegava o sorvete apenas mostrando a nota.

Eu já bati num garoto mais fraco, num gesto que hoje considero de extrema covardia.

Eu já menti para minha mãe sobre meu comportamento na escola.

Eu já acusei uma garota injustamente, só porque a ocasião me favorecia e eu não gostava dela.

Quando criança, na escola, eu mentia compulsivamente sobre ter e não ter coisas, apenas para não me sentir excluído.

Eu já disse coisas só para agredir a minha mãe, descontando assim a raiva que eu estava dela por ter casado de novo, mudado de cidade e roubado a minha vida.

Eu já espalhei um boato para me vingar de uma garota, algumas semanas depois ela simplesmente saiu da escola. Ainda não sei se foi só por causa do meu boato, mas acho pouco provável que não tenha tido nenhuma influência.

Já disse para uma garota que amava, mesmo sem amar.

Já disse para outra garota que a amava, com intenções estritamente sexuais

Já disse para outra garota que a amava, quando na verdade eu gostava mesmo era de trepar com ela.

Já parti o coração de uma ou duas garotas.

Já trepei com uma mulher uma vez e nunca mais a procurei.

Já conquistei mulheres para satisfazer meu ego.

Já tomei atitudes homofóbicas, xenofóbicas, sexistas e, em menor proporção, racistas.

Eu traí minha ex-namorada quando meu namoro começou a fazer água.

Eu já disse para uma garota que ela era meu step, e que ficar com ela era dar um tiro na cabeça da minha auto-estima.

Eu já roubei em jogos de cartas que não valiam nada.

Já fiquei tão bêbado em algumas ocasiões, que dei vexames pavorosos. De alguns desses vexames eu me arrependo até hoje.

Já deixei de estar ao lado de um amigo num momento em que ele precisava de mim, simplesmente porque eu não sabia como lidar com o problema dele.

E principalmente, eu abandonei o blog, mas desapareci de maneira tal que meu Mestre Vollu quebrou seu costumeiro silêncio e comentou no blog reclamando do meu sumiço.

Mea maxima culpa.

Anúncios